TUDO QUE VOCÊ NUNCA QUIS SABER SOBRE OS SKINHEADS, POIS SEMPRE ACHOU QUE ERAM TODOS NAZISTAS!

Seja bem-vindo(a) à página dos SKINHEADS CEARÁ, um coletivo que agrupa principalmente skinheads, sejam eles anarquistas, comunistas, ou sem nenhuma ideologia definida, mas também outras culturas irmãs (como os mods, rude boys e punks). Possuímos em comum a paixão pelo oi!, ska e reggae; o prazer por uma cerveja gelada e um bom futebol; o sentimento classista e a revolta diante de toda e qualquer forma de discriminação e exploração. Leia mais...

20 de mai de 2009

Uma Breve História da Cultura Skinhead

O cultura skinhead surgiu na Inglaterra na década de 1960. Nessa época, os Rude Boys jamaicanos e os Mods ingleses conviviam nas festas, estádios e nos efervescentes bairros operários, e dessa mistura surgiram os skinheads. Portanto, a cultura skinhead está intimamente ligada, desde seu início, à classe operária e à cultura juvenil multirracial.

Depois de algum tempo, notando o crescimento do movimento na juventude, os partidos de extrema-direita tentam cooptar os skinheads para suas fileiras, e o pior, fazem com que sua juventude adotasse o visual skin. A mídia sensacionalista britânica adorou o escândalo para vender mais jornais e começou a divulgar essa imagem de skins nazistas que perdura até hoje.

No Brasil, no final dos anos 1980, certos grupos também começam a misturar idéias de direita ultra-nacionalista com o visual skin. Mas, como xenófobos que eram, rejeitaram o nome inglês (adotando a alcunha de “carecas”) e todos os traços multirraciais dos skinheads, distanciando-se completamente das origens do movimento. É por este motivo que afirmamos que os carecas não são, nem nunca foram, verdadeiros skins.

Assim como a classe operária aos poucos se dá conta do perigo que é a direita, os verdadeiros skinheads aos poucos foram começando uma reação para acabar com o fascismo dentro do próprio movimento e “limpar” a imagem dos skins. Surge, inicialmente, a SHARP (Skinheads Contra o Preconceito Racial). Em seguida, percebendo que não bastava lutar contra o racismo quando não se combatia sua origem – o capitalismo, surge a RASH (Red & Anarchist Skinheads), uma frente que unia skins anarquistas e comunistas, dando novo fôlego ao movimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário