TUDO QUE VOCÊ NUNCA QUIS SABER SOBRE OS SKINHEADS, POIS SEMPRE ACHOU QUE ERAM TODOS NAZISTAS!

Seja bem-vindo(a) à página dos SKINHEADS CEARÁ, um coletivo que agrupa principalmente skinheads, sejam eles anarquistas, comunistas, ou sem nenhuma ideologia definida, mas também outras culturas irmãs (como os mods, rude boys e punks). Possuímos em comum a paixão pelo oi!, ska e reggae; o prazer por uma cerveja gelada e um bom futebol; o sentimento classista e a revolta diante de toda e qualquer forma de discriminação e exploração. Leia mais...

19 de out de 2009

HISTÓRIA DO SKA

As origens do ska remontam o fim dos anos 50. Os produtores mais importantes da Jamaica, Duke Reid e Clement "Coxsone" Dodd, viajavam assiduamente aos EUA em busca de novos discos gravados por lá. Entre os dois existia uma feroz concorrência, já que ambos eram donos de "soundsystens"- que eram caminhões equipados com microfones e alto-falantes, usados para fazer festas na rua. A rivalidade entre os dois produtores chegou ao ponto de um mandar sabotadores (dancehall crashers) a festa que o outro organizava. Quando o R&B saiu de moda nos EUA, houve uma importação massiva de discos para ilha, obrigando os produtores locais a buscar uma solução, já que os discos que eles traziam deixaram de ser "raridade". A solução do problema foi produzir suas próprias gravações com músicos locais.
Há várias versões de como inventou-se o Ska. A mais conhecida é a que tem Cecil Campbell (Prince Buster) como protagonista e conta que ele pediu ao seu amigo Jah Jerry (que mais tarde seria dos Skatalites) que compassasse o ritmo do R&B, fato que deu como resultado o famoso som de guitarra que todos conhecemos. O autor da palavra ska foi o baixista Cluet Jonhson, que saudava todos os seus amigos dizendo"Hey Skavoovee". Além disso, a pronúncia da palavra assemelha-se ao ritmo da guitarra. A primeira canção ska gravada foi, na minha opinião*, "Easy Snappin" do pianista Theophilus Beckford, gravada no ano de 1959, correspondente a primeira tiragem produzida por "Coxsone" nos míticos "Federal Studios". A banda que acompanhou o pianista esteve formada, entre outros, pelo já mencionado Cluet Jonhson e Roland Alphonso, que depois faria parte dos Skatalites. O maior hit de toda a história do ska foi "My boy lollipop" de Millie Small, adaptada ao estilo por Ernest Ranglin. A versão era cantada por Barbye Gaye e era R&B. Esta música vendeu 7 milhões de cópias ao redor do mundo e possibilitou ao ska poder ascender a outros países.
Os Skatalites, a banda mais importante de ska até nossos dias, formou-se oficialmente em 1964, fazendo um festival no "Hit- Hat Club".A partir deste momento a banda gravou seu primeiro Lp "Ska Authentic" e começou a viajar pelo país fazendo festivais acompanhando diferentes cantores, dentre os quais poderíamos destacar Jackie Opel, Lord Tanamo, Laurel Aitken.
Depois do sucesso da cantora Millie Small com "My Boy Lollipop" realizou-se um festival para a televisão estadounidense intitulado"This is Ska". Neste documentário pode-se ver ao vivo os Maytals, Jimmy Cliff, Monty Morris e alguns outros. A banda acompanhante era Byron Lee & The Dragonaires, não por que tocava melhor que os Skatalites, senão por que estes últimos eram rastafaris e sua "aparência" não era desejada para o público ianque. De toda forma isso não os deteve, no ano de 1964 conseguem por no "top ten" britânico o arquiconhecido "Man in the street". Em primeiro de janeiro de 1965, Don Drummond, trombonista e membro fundador, é preso pelo assassinato de sua namorada, a cantora Margarita. Mais tarde lhe transferiram para o Belle Vue Mental Hospital onde finalmente morre em 1969.
Além dos Skatalites, dentro e fora da Jamaica, também destacavam-se: Owen Gray- foi o primeiro jamaicano a gravar um disco de R&B "Please don't let me go". Também foi o primeiro a gravar um disco de ska na Inglaterra "Darling Patricia", acompanhado por "Carlos Malcom and his Afro-Jamaican Rhytms".
*Derrick Morgan, conhecido em sua época por suas loucuras, escreveu uma canção "Foward March" na qual descrevia o otimismo geral do país ao haver obtido a independência em 1962. No ápice de sua carreira manteve uma guerra midiática com Prince Buster, já que este gravou uma música agredindo-lhe. Derrick respondeu-lhe e assim seguiram com uma sequência de canções um contra o outro. Fianalmente resultou que eram muito amigos e tudo havia sido uma estupenda campanha publicitária que terminou com um festival onde cantaram os dois diante de uma multidão descontrolada.
*Laurel Aitken, nascido em Cuba, emigrou com sua família para a Jamaica quando ainda não havia completado doze anos. Sua carreira começou no fim dos anos 50 e seu repertório ia desde o boogie até o calypso, obviamente passando pelo R&B. Iniciado os anos 60 foi apelidado de "the Godfather of Ska"(o padrinho do ska) já que o single "Litle Sheila/Boogie in my bones" foi o primeiro hit "ska" que se manteve no primeiro lugar durante onze semanas. Mudou-se para a Inglaterra, onde fundou a comunidade jamaicana em Brixton. São destacáveis seus trabalhos na época do rocksteady e posteriormente do skinhead reggae, depois deste desaparecer por um tempo. Laurel faleceu em 2005 de enfarto.
*Prince Buster, trabalhava na soundsysten de "Coxsone" e abandonou-lhe para montar a sua própria, que se chamou "The Voice of the People", foi o que tinha os melhores sons, mas nunca pode superar a concorrência de Duke Reid. Mais tarde passou a trabalhar numa estação de rádio chamada RJR e lançou-se como produtor e posteriormente como cantor. As letras de suas músicas refletem seu modo de ver a vida, no meu entender*, como vê um autêntico rude boy (ouça-as e vai entender o que falo.).
The Wailling Waillers, Peter Tosh, Bunny Wailler , Bob Marley, gravaram seu primeiro single no ano de 1962 com o título "Judge not". Isto graças a Jimmy Cliff, já que ele era amigo de Bob e apresentou-lhe a Leslie Kong(um dos produtores mais importantes). A música com a qual eles chegaram a fama foi "Summer down" onde a banda acompanhante era The Skatalites. Bom, até aqui chega esta pequena resenha da origem do ska.

*Traduzido e adaptado ao português por 007

Nenhum comentário:

Postar um comentário